O conceito de liderança situacional consiste em uma maneira de gerir equipes. Ou seja, moldar a forma de liderar, levando em consideração a condição em que uma determinada equipe se encontra.

Para ser considerado um bom líder, o indivíduo precisa ser capaz de adequar seu comportamento, de acordo com as necessidades de cada um dos seus colaboradores. Por isso, uma determinada forma de liderar pode ser eficaz para um colaborador, mas ineficaz para com outro.

Nesse contexto, uma maneira de liderar não é considerada melhor que outra. Afinal, tudo vai depender da situação e da equipe que o líder está gerenciando.

Por isso, é importante que um líder seja flexível para se adaptar a situações cotidianas.


A quem se aplica a liderança situacional?

Como explicado anteriormente, a liderança situacional tende a se ajustar dependendo do contexto. Para isso, o líder precisa constantemente fazer avaliações sobre sua equipe e adaptar sua maneira de liderar.

Nesse sentido, a liderança situacional procura harmonizar as ações que serão realizadas pelos subordinados de acordo com as orientações do líder. Cada situação será moldada, aplicada e ajustada de acordo com a maturidade profissional de cada colaborador.

Por maturidade profissional entende-se a capacidade que um colaborador possui de chamar para si a responsabilidade de suas atitudes. Essa maturidade é construída em 4 fases, que são:

  • Fase 1: Quando o colaborador é iniciante e não está preparado e nem tem confiança para tomar decisões.
  • Fase 2: Quando os colaboradores estão motivados, mas precisam de apoio por não terem experiência para executar determinadas tarefas.
  • Fase 3: Aqui, os colaboradores já possuem conhecimentos e experiência. Entretanto, sentem-se desmotivados.
  • Fase 4:  Já aqui, os colaboradores possuem conhecimento, experiência e estão motivados.

Tipos de liderança situacional

Um líder que gere a empresa com base nos princípios da liderança situacional pode desempenhar distintos tipos de lideranças.

Além disso, os perfis exercidos pelo líder irão variar de acordo com a maturidade profissional dos seus colaboradores. Esses tipos são:

  • Perfil orientador

Embora a decisão de um tema seja tomada pelo líder, nesse perfil de liderança situacional o gestor estimula sua equipe a realizar seus afazeres. Além disso, ele apoia as ideias e sugestões que são expressadas pela equipe. O líder orientador também proporciona uma supervisão constante.

  • Perfil diretor

Nesse perfil de liderança situacional, o gestor explica à sua equipe o que cada membro precisa fazer e deve precisa ser feito. Com os líderes na direção, os subordinados têm pouca ou nenhuma autonomia. As tarefas que foram atribuídas e confiadas tendem a ser fiscalizadas durante toda sua realização.

  • Perfil apoiador

Já esse perfil de líder se baseia no apoio e geralmente tende a supervisionar seus colaboradores. O líder apoiador incentiva os membros da sua equipe e aceita ideias e perspectivas. E isso mesmo que elas sejam divergentes das suas, desde que contribuam para o crescimento da empresa.

  • Perfil autônomo

Em uma liderança situacional autônoma, o gestor permite que a equipe participe com mais ênfase no processo de decisões. Um bom líder delega funções e responsabilidades, enquanto os colaboradores assumem as consequências.


Siga no YouTube: